Vila Velha

No último sábado, dia 2, eu e Kaciane fomos para Vila Velha, a cidade de pedra. A viagem até lá foi tranqüila e são somente 90 km por uma estrada duplicada e com pouco trânsito em razão de ser “meio” de feriadão. Paramos para almoçar na estrada, num daqueles restaurantes para caminhoneiros. Matei saudades de quando era criança e viajava de caminhão com meu pai. A comida estava boa, mas exagerei um pouco e depois fiquei meio mal.

Chegamos a Vila Velha quase no meio da tarde e paramos no posto de atendimento aos turistas, para comprar o ingresso de entrada e obter algumas informações. Pensamos em fazer o passeio para Furnas e depois o passeio pelos arenitos (formações rochosas), mas depois de lermos um aviso que informava que o elevador que leva os turistas até o fundo dos buracos de Furnas estava quebrado, optamos somente pelo passeio até os arenitos. Pegamos o ônibus que leva os turistas até o inicio das formações rochosas e dali seguimos pela trilha de pouco mais de 2 km que circula o local.

Eu tinha estado ali em 2001, mas naquela época tudo era meio desorganizado, o pessoal subia (e destruía) os arenitos, existia uma lanchonete quase no meio das rochas e uma porção de quatis que estavam habituados a serem alimentados pelos visitantes e que ficavam pulando nas pessoas para roubar comida. Era um quase caos e depois daquela visita minha impressão sobre o lugar foi tão negativa que falei que nunca mais voltaria ali. Mas felizmente o governo do estado resolveu salvar o lugar e fez uma grande reforma, afastando dali a lanchonete e os quatis. O que vi nessa segunda visita foi um parque limpo, bonito e organizado. Pude notar que alguns trechos de trilha que estavam deteriorados, foram recuperados e a passagem por eles está proibida. Também não se pode mais subir nas rochas para tirar fotos. Um exemplo disse é a “Taça”, o principal símbolo do parque, que em minha primeira visita o pessoal subia na parte debaixo dela para tirar fotos e isso estava desgastando o arenito. Dessa vez não se podia nem chegar perto dela, agora existe um mirante de madeira aonde os turistas vão para tirar fotos, com a “Taça” aparecendo ao fundo. Infelizmente atitudes drásticas são necessárias para preservar locais e monumentos turísticos, já que a maioria dos visitantes age como se nunca mais fossem voltar ali, sujando e destruindo tudo o que é possível.

O Parque Estadual de Vila Velha possui uma área de 3.122 ha. Ele foi criado em 12 de outubro de 1953. Em 1966 todo o conjunto de Vila Velha foi tombado pelo Departamento de Patrimônio Histórico e Artístico do Estado do Paraná.

A principal atração do parque são suas figuras gigantescas de rocha (arenitos) que foram esculpidas pela ação das chuvas e dos ventos. A sua formação arenítica é resultado do depósito de um grande volume de areia há aproximadamente 340 milhões de ano, quando a região onde se localiza o parque estava coberta por um lençol de gelo.  Com o degelo, esse material foi ali abandonado e com a erosão esses depósitos foram retalhados, originando os arenitos de Vila Velha. No local existe uma transformação continua, onde a ação dos ventos e da chuva continua esculpindo ás rochas, alterando de forma lenta o que já tinha sido esculpido e esculpindo novas formações.

Os arenitos de Vila Velha sugerem variadas figuras. As mais famosas são o camelo, índio, noiva, garrafa, bota, esfinge e a mais famosa de todas é a taça. Outro ponto famoso do Parque Estadual de Vila Velha são as Furnas, crateras circulares de grande diâmetro que aparecem isoladas nos campos. São em número de três e suas paredes verticais atingem uma profundidade de mais de 100 metros. O volume de água ali existente atinge aproximadamente a metade desta profundidade. Em uma das furnas foi construído um elevador panorâmico (que vive quebrado) que vencendo um desnível de 54 metros, dá acesso ao seu interior, onde por sobre uma plataforma flutuante colocada a 3 metros do nível da água é possível os visitantes chegaram bem próximos da água.

Entrada de Vila Velha e alguns arenitos.
Entrada de Vila Velha e alguns arenitos.
Arenitos e o mais famoso arenito de Vila Velha, a "Taça".
Vander andando pela trilha e uma das rochas que ficam no mato.
Vander andando pela trilha e uma das rochas que ficam no mato.
Várias imagens de Vila Velha.
Várias imagens de Vila Velha.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.