Ilha do Mel

Conheci a Ilha do Mel no final dos anos oitenta. Naquela época a Ilha era mais deserta, o desembarque se fazia longe da praia, muitas vezes com água pelo peito e até pescoço. Existiam poucas pousadas e turistas. Quem mais frequentava a Ilha era o pessoal aventureiro. Fiquei um tempo sem ir na Ilha e em 1997 estive lá novamente. Já não era mais a mesma coisa, tinha muitos bares, restaurantes e pousadas. Muito turista e o desembarque já se fazia no atracadouro, onde nem se molha o pé pra sair do barco. Não gostei e fiquei muitos anos sem ir na Ilha. Estive lá no inicio do mês e a decepção foi grande. O número de bares, pousadas e restaurantes aumentou muito. Casas de veraneio que não são de nativos foram construídas lá, provavelmente de forma irregular ou molhando a mão de algum fiscal. Sem contar que parte da Ilha desapareceu, o mar está avançando e destruindo construções e levando areia da Ilha pra outro lugar. Pra mim a Ilha perdeu totalmente o charme de outrora, quando era bem deserta e sossegada. Dificilmente volto lá.

ILHA DO MEL: A Ilha do Mel está localizada no Oceano Atlântico Sul e situa-se à 15 milhas do Porto de Paranguá, no Paraná. Seu ponto mais próximo do continente é de cerca de 4 km de Pontal do Sul, no município de Pontal do Paraná. São 2.585 hectares de área composta por sistemas de restinga e Floresta Atlântica protegidas e destinadas exclusivamente à preservação integral da flora e da fauna, de um total de 35 km de perímetro. Sua Estação Ecológica com 2.240 hectares tem o objetivo de preservar o meio-ambiente e é vedada a entrada de pessoas não autorizadas. Na Reserva Natural, com 345 hectares, é admitida a existência de trilhas, desde que não afetem a paisagem. Já a Zona de Ocupação tem 120 hectares. A areia marrom que se observa nas praias do Farol e de Nova Brasília tem cinco mil anos e sua coloração deve-se à presença de matéria orgânica. O ponto mais alto da Ilha do Mel, localiza-se no Morro do Miguel (Morro Bento Alves), com 151 metros. O clima é de transição entre o tropical e o subtropical, super-úmido, sem estação seca e sem ocorrência de geadas. – Temperatura média: máxima 31º mínima 13º – Temperatura média da água: verão 21º inverno 17º – Dias de sol/ano (média): máximo 166 mínimo 133 – Chuvas (média em mm/ano): máximo 3250 mínimo 1750

De seus 2.700 hacres, apenas 200 têm permissão de uso. O restante é reserva ecológica tombada pelo Patrimônio Histórico em 1975. É administrada pelo Instituto Ambiental do Paraná desde 1982. O turista dispõe de pousadas e pequenos restaurantes. A ilha tem cinco vilarejos: Fortaleza, Nova Brasília ou Brasília, Farol, Praia Grande e Encantadas. Não há ruas ou estradas, só trilhas. A implantação de geradores de energia elétrica em 1988, deu início a atitudes que hoje se transformaram em preocupação pela preservação da ilha e sua principal atração: a natureza.

A travessia para a Ilha do Mel é feita com segurança, por barcos que saem de Pontal do Sul (30min) ou de Paranaguá (1h45min). Existem linhas regulares diariamente entre as 8h00 e 17h00, mas também podem ser fretadas embarcações em outros horários. Durante a temporada, os barcos partem a cada 30 minutos, e fora de temporada a cada hora cheia. Existem dois pontos de desembarque: Encantadas e Nova Brasília (o qual atende também à Praia Grande, Farol e Fortaleza). Existe também uma linha regular de barco entre Encantadas e Nova Brasília, que parte a cada hora.

As principais atrações turísticas da Ilha do Mel:

Farol das Conchas: para modernizar a navegação comercial brasileira o Imperador D. Pedro II ordenou, em 1870, o início das obras, realizadas por uma empresa inglesa sob a supervisão do engenheiro Zózimo Barroso. Os materiais foram importados da Escócia, país que detinha, na época, a tecnologia mais avançada no ramo. Inaugurado em 1º de abril de 1872. Localizado no alto do Morro das Conchas, pode ser avistado de quase todos os pontos da Ilha do Mel.

Fortaleza de Nossa Senhora dos Prazeres: Único monumento militar do século XVIII existente no Paraná, instalado nos contrafortes do Morro da Baleia, erguido com paredes de um metro e meio de espessura, a Fortaleza foi concluída em 23 de abril de 1769. No alto do Morro da Baleia, junto à Fortaleza, estão canhões e trincheiras de pedras. É o chamado “Labirinto dos Canhões”. Há também, um mirante, com uma incrível vista panorâmica. Chega-se até lá por trilha no morro.

Gruta de Encantadas: situada na parte sul da Ilha, é o patrimônio natural mais importante da lha do Mel. O morro da Gruta, formado por um tipo de rocha chamado migmatito é dividido por um veio de rocha negra, o diabásio. A Gruta se formou pela ação do mar sobre o diabásio, menos resistente que o migmatito. Para facilitar o acesso, foi construída uma passarela que leva até a sua entrada.

Istmo: localizado em Nova Brasília, o Istmo ou Passa-Passa (como é conhecido pelos locais), é a parte mais estreita da Ilha do Mel e sofre um processo de erosão desde 1930, porém atualmente, a água já não atravessa mais de um lado ao outro, como aconteceu em 1995. A largura hoje chega à 30 metros e somente nas grandes ressacas do mar, a água chega a atravessar.

Interior da Ilha.
Farol
Praia deserta.
Por do Sol na Ilha.

Fortaleza
Anoitecer na Ilha
Ilha vista do barco
Barcos ancorados na Ilha

4 opiniões sobre “Ilha do Mel

  • 15 de julho de 2010 em 21:19
    Permalink

    Ficou muito legal as 2 postagens, bem detalhista e explicativo! Bjs

    Resposta
    • 16 de julho de 2010 em 11:30
      Permalink

      Que bom que gostou.

      Bj…

      Resposta
  • 15 de julho de 2010 em 21:20
    Permalink

    Ficou muito legal as 2 postagens, com direito a relato histórico e fotos 🙂 Bjs

    Resposta
    • 16 de julho de 2010 em 11:30
      Permalink

      Procurei caprichar.

      Beijo…

      Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.