Homenagem ao Everaldo

Faleceu ontem aqui em Curitiba o Everaldo Leonel, amigo que estudou comigo o 1º ano de Estatística na UFPR em 1997. Depois ele mudou de curso, mas vez ou outra nos encontrávamos pela cidade. A última vez que o vi foi em meados do ano passado, numa farmácia. Ele era um cara legal, sempre sorridente. Então como homenagem de despedida publico uma foto de nosso grupo de amigos do curso de estatística, onde o Everaldo aparece sorrindo, no meio de duas garotas. Também vou contar uma história da qual ele participou.

“Logo do inicio do curso de Estatística formamos um grupinho de amigos e sempre nos reuníamos pra fazer algo. Era cinema, barzinho, churrasco na casa de um, pipoca na casa de outro, aniversários. Teve uma vez que nos reunimos no apartamento de uma das garotas, em frente ao CEFET. Na hora de ir embora estavámos esperando o elevador no sétimo andar e junto conosco estava a Célia, que tinha pavor por cócegas. Quando entramos no elevador o Everaldo olhou pra mim e com os olhos mostrou a Célia. Na hora entendi qual era a intenção dele e cada um de um lado “atacou” a Célia fazendo cócegas. Como ela não tinha pra onde correr, armou o maior griteiro e se deitou no chão. Quando o elevador parou no térreo ela saiu de quatro, engatinhando apavorada para fora do elevador. Precisava ver a cara de espanto das pessoas que estavam no térreo aguardando o elevador. Eu e o Everaldo saímos rindo de quase chorar. Isso mostra bem como era o Everaldo e vai ser esse fato que sempre vou lembrar com relação a ele.”

Turminha da Estatística, o Everaldo aparece no círculo. (Curitiba - 1997)

5 opiniões sobre “Homenagem ao Everaldo

  • 10 de fevereiro de 2010 em 11:48
    Permalink

    Vander,

    Vc buscou essa foto nos subterrâneos do curso da Estatística.
    As meninas que estão em volta do Everaldo, salvo engano, são a Terezinha e a Vanessa

    Resposta
    • 11 de fevereiro de 2010 em 16:11
      Permalink

      Fernando,

      Você pode ter envelhecido um pouco, mas continua bom de memória. AS garatas são mesmo as que citou.

      Abraço,

      Vander

      Resposta
  • 10 de fevereiro de 2010 em 18:49
    Permalink

    Vandeco, eu não consigo me conformar com a morte do nosso amiguinho!!!! Hoje quando fiquei sabendo pelo Fernando, ele me ligou de Manaus, não pude acreditar, liguei para uma amiga do Leonel e ela me confirmou, estou muito triste pois eu estava sempre em contato com ele e hoje acordei pensando nele e ia ligar pra conversar, não pude nem dar adeus ao meu querido amigo!!! Espero do fundo da minha alma que ele esteja em paz, pois ele sempre foi uma pessoa de bem com a vida e boa de coração!!! Que Deus o acolha de braços abertos!!!

    Resposta
    • 11 de fevereiro de 2010 em 16:14
      Permalink

      Oi Célia,

      Pois é, foi de repente e pegou todo mundo de supresa. Depois daquele encontro promovido por você lá na Associção Copel, fui rencontrar o Leonael novamente ano passado em uma fármacia. Conversamos rapido e ele estava sempre sorridente. Quem me avisou do falecimento foi a Kaciane, minha ex, que trabalhou com ele durante um bom tempo na Facinter.

      Que Deus tenha um bom lugar para ele e que nós que continuamos nesse mundão tenhamos força pra seguir adiante. Eu particularmente passo por um momento dificil, onde está sendo dificil sair da cama e ainda mais impossível sorrir. Mas amo a vida e vou me arrastando em busca de dias melhores.

      Grande beijo…

      Vandeco

      Resposta
  • 11 de fevereiro de 2010 em 22:31
    Permalink

    Vandeco meu amigo, se precisar de um ombro amigo pode contar comigo!!!
    Não temos nos falado ou nos encontrado mas saiba que sempre lembro da nossa amizade e de nossas longas conversas!!!Te gosto muito guri!!!

    beijão, força e se precisar grita por favor!!!

    Célia

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.