Natal 2009

Depois de vários dias trabalhando até tarde e também no sábado e domingo, finalmente consegui tirar uns dias de folga e viajar. Como de costume fui pra Campo Mourão passar o Natal com a família. Saí de casa na manhã do dia 24, achando que não teria muito trânsito, mas não rodei nem uma hora e parei num congestionamento monstro. O pedágio de São Luis do Purunã estava meio lento e isso formou uma fila de vários quilômetros. Alguns quilômetros após o pedágio tem um posto da Policia Rodoviária, onde o pessoal tem que reduzir a velocidade e isso fez com que o trânsito ficasse lento por mais um tempo. Depois deu pra correr um pouco, mas sem exagerar. Pelo caminho vi muitos carros quebrados no acostamento e três acidentes em que o pessoal saiu da pista, mas aparentemente nada grave.

Fui pela estrada que inicia em Reserva, que é minha favorita em razão do menor fluxo de carros e da bela paisagem. Nos 480 km entre Curitiba e Campo Mourão fiz somente uma parada rápida para xixi e água. Ao passar pela reserva indígena que tem no caminho, parei poucos minutos para entregar aos indiozinhos alguns panetones e caixas de bom-bom. Eles fizeram a maior festa, mas preocupado que estava com que algum fosse atropelado, esqueci de tirar fotos. A estrada não tem acostamento, então tive que parar no meio da pista pra entregar as guloseimas pela janela do carro. Cheguei em Campo Mourão no meio da tarde e nos dias seguintes aproveitei para descansar, dormir e ler.

O Natal foi em casa, sem muita festa como de costume. Pra nós o importante é estar quase todos juntos e assim curtir o almoço do dia 25. Meu pai foi pra Maringá passar o Natal com boa parte da Família Dissenha. Dia 24 á noite o Wagão chegou com “sua família” e finalmente pude conhecer minha nova sobrinha, Heloisa, que já está com quase dois anos e ainda não conhecia.

Fiquei por lá até terça de manhã, quando voltei para Curitiba e levei junto minha outra sobrinha, Erica, para passar uns dias em casa. No mais foram dias tranqüilos de repouso e a única coisa que fiz de diferente foi ir no domingo a tarde até a cidade de Fênix visitar um parque Estadual. Essa curta viagem conto daqui uns dias, quando sobrar tempo.

Pra mim o Natal é uma data como tantas outras. Tem seu lado cristão, a união da família e tudo mais. Fora isso não vejo motivos pra exageros e consumismos como a maioria do pessoal. E após tantos dias trabalhando feito louco, com dezenas de problemas pra resolver, fica difícil entrar no espírito natalino.

Congestionamento no Pedágio de São Luiz do Purunã. (24/12/2009)
Parte da família reunida (25/12/2009)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.