Rapel em Jussara

Hoje foi dia de fazer rapel em um viaduto desativado da linha férrea, próximo a cidade de Jussara. O rapel foi organizado pelo meu amigo Alemão, como forma de comemorar seu aniversário de 34 anos. No rapel tive a oportunidade de encontrar alguns amigos e também de fazer novas amizades.

Mesmo já tendo feito  rapel outras  vezes, sempre fico  com frio na barriga. E esse  rapel era complicado a saída, pois não tinha apoio para os pés. Medo de lado, foi mais uma experiência inesquecível e com a adrenalina nas alturas literalmente.

x2
WhatsApp Image 2020-09-08 at 15.21.16
x4
x10x13
wwwwwwwwwww

Caminhada em Jussara

Hoje foi dia de levantar cedo para participar de uma caminhada diferente. O grupo de caminhadas da vizinha cidade de Peabiru, foi convidado para participar de uma caminhada teste na cidade de Jussara. O pessoal de Jussara pretende entrar no circuito de Caminhadas na Natureza, então organizou um roteiro e convidou o pessoal de Peabiru para conhecer o roteiro e depois dar palpites, sugestões e criticas. Como tenho amigos no grupo de caminhadas de Peabiru, consegui ir junto com eles e levei a Amanda e o Alemão.

Fomos de carro até Peabiru, cidade vizinha a Campo Mourão e de lá percorremos de ônibus os 68 quilômetros até Jussara. Eu tinha dormido tarde na noite anterior, e estava com muito sono. Dormi o tempo todo, mesmo no banco desconfortável do ônibus escolar. Em Jussara fomos recepcionados com um saboroso café da manhã. Até o prefeito foi nos recepcionar.

A caminhada começou pelas ruas da cidade e depois seguiu por um longo trecho de terra mecanizada, tipo de terreno que onde é horrível caminhar. Em seguida entramos na mata e ali ficamos por algumas horas. Tinham muitas trilhas subindo e descendo morro, paramos num rio com uma pequena cachoeira, onde alguns corajosos entraram na água.

Na parte final da caminhada acabamos nos perdendo, pois existiam muitas trilhas e quase nenhuma sinalização. Tivemos que sair da mata, andar um pouco ao redor dela, até que encontramos algumas pessoas da organização, que nos indicaram o caminho correto a seguir. Depois foi tranquilo o final da caminhada. De volta a cidade ficamos na pracinha central, onde lanchamos. Um morador local bastante antigo, sentou conosco e ficou contando histórias da cidade. Seu Brás era bastante simpático e falante e se mostrou ser uma ótima companhia.

01

IMG_1823

IMG_1854

IMG_1920

IMG_1937

IMG_1959

IMG_2026

IMG_2030