Parque Nacional Iguazú (Argentina) Parte: 2

PARQUE NACIONAL IGUAZÚ – MARAVILHA DO MUNDO

PATRIMONIO NATURAL DA HUMANIDADE

As Cataratas do Iguazú encontram-se no interior do Parque Nacional Iguazú, uma área de preservação da natureza que cobre 67.720 hectares no extremo norte da Província de Misiones, na República Argentina. É um sistema de 275 saltos de água no meio da Selva, localizado a 17 quilômetros da foz do Rio Iguazú, nas águas do Rio Paraná, ponto onde se encontram as fronteiras da Argentina, Brasil e Paraguai, onde se erguem as cidades de Porto Iguazú, no lado argentino, Foz do Iguaçu no lado brasileiro e o conglomerado urbano Cidade del Este/Presidente Franco, do lado paraguaio.

  • As Cataratas do Iguazú têm uma largura de 2,7 km (ou 1,7 milhas). A sua altura varia entre 60 metros (200 PES) e 82 metros (ou 269 PES) e a sua média de fluxo de água de 1.800 m ³/s.
  • Uma grande parte da água das cataratas cai na Garganta do Diabo, um grande abismo de 82 metros de altura, 150 metros de largura e 700 metros de comprimento. Este abismo é em forma de U.
  • Dois terços das Cataratas do Iguazú estão no lado Argentino.
  • As Cataratas do Iguazú se formaram como resultado de uma erupção vulcânica.
  • As Cataratas do Iguazú podem ser vistas em muitos filmes, incluindo: A Missão, Indiana Jones e o Reino da caveira de cristal, Mr. Magoo, Miami Vice.

000

IMG_9603

IMG_9613

IMG_9638

IMG_9633

IMG_9655

Parque Nacional Iguazú (Argentina) Parte: 1

Já perdi a conta das vezes em que visitei as Cataratas do Iguaçu, dentro do Parque Nacional do Iguaçu, no lado brasileiro das Cataratas. O local é muito bonito e merece uma visita. E fazia muito tempo que queria visitar o lado argentino das Cataratas. Se no lado brasileiro você tem um visão de baixo para cima, do lado argentino você tem a visão de cima para baixo das Cataratas.

E aproveitando o final de semana em Foz do Iguaçu, com direito a compras no Paraguai, eu e meus amigos de viagem: Laiane, Alemão e Jobis, além do baiano Bruno, que conhecemos no hostel onde  nos hospedamos, seguimos para à Argentina. Rodamos pouco mais de quarenta quilômetros até chegar ao Parque Nacional del Iguazú. Após uma longa fila para comprar os ingressos,  finalmente entramos no parque. O local é enorme, e para conhecer tudo, um dia inteiro é insuficiente.

Primeiramente fomos visitar a Garganta do Diabo, que é o local mais importante do parque. Andamos um pouco e depois pegamos um trenzinho que roda cerca de três quilômetros. Finalmente chegamos na margem do rio e seguimos por 1.200 metros sobre passarelas que atravessam o rio. Quando você chega perto do mirante que fica próximo as quedas, a sensação é indescritível. O barulho das águas caindo deixa a visita ainda mais emocionante. Demos sorte de visitar o lugar após um período de bastante chuva, que deixou as quedas com muita água, o que destacou sua beleza. E também demos sorte de pegar um dia quente e ensolarado de outono.

Após ficar um longo tempo admirando a beleza das quedas e tirando fotos, voltamos pelas passarelas até o local onde se embarca no trem. Ali tem muitos quatis, que roubam comida dos visitantes mais distraídos. Acaba sendo divertido ficar vendo os bichinhos ladrões. Mas vez ou outra, além da comida os bichinhos levam um pedaço do dedo dos mais distraídos. Pegamos o trem e desembarcamos numa estação que leva ao início da trilha que passa pela parte superior das quedas. Você segue por passarelas e vai visitando muitos saltos, um mais bonito do que o outro. Depois iniciamos a trilha que passa pela parte inferior dos saltos. Essa trilha é menos bonita que a anterior, mas seu final é próximo a um salto onde além de você se molhar, dá para sentir a emoção de ficar próxima a queda de um salto muito forte e que faz um barulho ensurdecedor.

Já era quase fim do dia quando demos mais uma volta pelo interior do parque e fomos embora. Tínhamos caminhado algo próximo a onze quilômetros, andado mais seis quilômetros de trenzinho, e mesmo assim não conseguimos visitar todos os locais dentro do parque. Vai ser preciso novo passeio para conhecer o restante do local e também para visitar novamente os lugares mais bonitos que visitamos. Vale muito visitar as Cataratas do lado argentino, que são muitas vezes mais bonitas do que as Cataratas do lado brasileiro. O ideal é você visitar os dois lados, para então ter uma experiência mais completa sobre o que são as Cataratas do Iguaçu, uma das Sete Maravilhas Naturais do Mundo.

001

002

IMG_9515

IMG_9518

IMG_9540

IMG_9600

O presente perdido

Essa semana estava arrumando algumas coisas, separando outras e jogando muita coisa fora, quando comecei a mexer em uma caixa com centenas de cartas antigas. Muitas dessas cartas acabei jogando fora, pois a maioria tinha mais de 20 anos e tinha muita gente que me escreveu que eu nem lembrava mais quem era. Tinham cartas escritas até por pessoas que já estão mortas.

E mexendo nessas cartas encontrei algumas de uma amiga argentina, datadas de 1995. E ao pegar uma das cartas, me chamou a atenção o volume dentro do envelope. Ao olhar no envelope descobri um pequeno pacotinho e dentro um crucifixo, que ela me enviou de presente em meu aniversário de 25 anos. No pacotinho ela escreveu 26 anos, pois se enganou! Isso foi há 21 anos e tal presente ficou perdido e esquecido todo esse tempo. Talvez na época essa guria tenha estranhado eu não ter agradecido o presente. Hoje ela nem deve mais se lembrar de que me enviou algo um dia e eu não agradeci. Vou guardar o presente de lembrança, bem como o bilhetinho. Essa foi mais uma de minhas costumeiras bolas foras…

img_7860

img_7859

img_7857

img_7858